DEPUTADOS NO PRESÍDIO

Não foi desta vez, foi só uma visita ao Presídio Central de Porto Alegre, que está Cansado de ser rotulado como a pior cadeia do país, o Presídio Central de Porto Alegre junto com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) conduziu ontem integrantes da CPI da Violência Urbana pelos corredores do local, durante vistoria.  O guia do passeio foi o secretário Edson Goularte. Os deputados percorreram os corredores do presídio e puderam observar problemas crônicos da instituição, como celas apinhadas de gente, a falta de local adequado para dormir, paredes e pisos destruídos e cheiro insuportável devido falta de estrutura para higiene pessoal. O Presídio Central esta com 4.742 presos, 110% acima da capacidade para o qual foi projetado.
Recebidos pela cúpula da segurança no Estado, os deputados Paulo Pimenta (PT) e Luiz Carlos Busato (PTB), ouviram de Goularte, do comandante-geral da BM, coronel João Carlos Trindade, e do titular da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Mario Santa Maria Junior, informações sobre as condições do Presídio Central e os investimentos feitos pelo governo do Estado no sistema carcerário, em especial a reforma de prédios e a abertura de vagas pelo Estado. Sendo que ficou clara o descontentamento pelo título atribuído ao presídio, por conta de uma outra CPI,  a do Sistema Carcerário, a qual realizou inspeção no presídio em 2008.
A comitiva só pôde ser acompanhada por jornalistas de veículos oficiais da Câmara dos Deputados e do Palácio Piratini.

VIVIANE VENDRUSCOLO

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: